O dia em que eu admiti: estou viciada em celular

iphone-1283665_1920

Parece no mínimo paradoxal escrever um relato sobre vício em internet em blog online, no qual preciso acessar um computador com internet para poder compartilhar com o “mundo”.  Mas foi a melhor forma que encontrei para dividir com outras pessoas uma situação que garanto que não acontece só na minha casa.

Neste momento está passando um filme na televisão, que minha mãe e meu irmão estão assistindo. Me pergunto se eles realmente sabem sobre o que se trata a história, pois mesmo estando em outro comodo da casa consigo ouvir o som do celular dos dois, ela jogando Pengue no Facebook e ele vendo algum vlog no Youtube. E é assim, sempre.

Guardei meu celular agora pouco assim que terminou de carregar, para conseguir escrever este texto. Estava tentando ler uma Elle que comprei faz pouco menos de duas semanas (e ainda não consegui, porque adivinha – eu não saio do celular) em que tem como tema principal a tecnologia e suas aplicações futuras na moda, na beleza e em nossas vidas.  É claro que aplicar a tecnologia em diferentes áreas da vida trás infinitas possibilidades seja em produtos, trabalho e na maneira como nos relacionamos. Mas será que estamos preparados para tudo isso?

Li em um tempo desses uma frase que não saiu mais da minha cabeça, que diz mais ou menos o seguinte: estar com a cara o tempo todo no celular é simular a um avestruz com a cabeça enfiada no buraco. Quem escreveu isso é Bauman, no livro Vida para Consumo. Desde então fiquei incomodada com tão analogia, pelo simples fato dela ser verídica. Os celulares são o nosso buraco de terra portátil e moderninho de século XXI. Vai dizer que estou errada? Pegue um ônibus para se deslocar  a próxima vez que sair e observe a quantidade de pessoas ao celular, é assustador.

E ai você me pergunta, mas o que tanto você faz no celular? E a verdade é: nada. É uma troca constante entre Facebook, Instagram, Snapchat e Whatsapp, na busca constante por uma novidade, mesmo que não exista nenhuma notificação. E quando não tem, vem o Youtube com as músicas que escuto e repito infinitas vezes. Tenho tentado desligar ele em períodos em que não uso, como durante a noite e até mesmo agora durante as férias. Mas não é sempre que consigo, tanto que quando vejo lá estou eu mexendo nele de novo. Eu já perdi quantas vezes coloco meu celular para carregar todos os dias.

E isso se reflete até em outros aspectos da vida, como até mesmo aqui no blog. É uma das coisas que eu mais gosto, compartilhar experiências e histórias com as pessoas e nem isso eu fiz. Nestes três anos, com certeza esse foi o que eu menos me dediquei aqui, e não compartilhei isso antes porque não conseguia encontrar uma nova desculpa para não ter um post novo.

Nesses pequenos períodos “sóbrios” fico me questionando sobre como tudo o que fazemos precisa envolver o celular, e não apenas coisas relacionadas a trabalho. Quando realmente não temos nada para fazer, a solução, o passatempo sempre acaba na internet. Me assusta não lembrar o que as pessoas faziam quando as coisas não eram assim e mais ainda saber que talvez a gente não volte a lembrar tão cedo.

Não existe sensação mais angustiante do que sentir que tem algo faltando em você, quase como se fosse uma perna ou algo do tipo. Estou exagerando sim, mas é a mais pura verdade. Me pergunto se a dependência de drogas também é assim. É querer gritar por ajuda, sem que ninguém consiga te ouvir porque todos estão neste mesmo barco.  Uma das coisas que eu mais queria, era ir para aqueles retiros em que é proibido o uso de aparelhos eletrônicos. Tipo uma reabilitação mesmo, para conseguir acabar com isso.

Tenho dois livros novos para ler, algumas revistas, três gatos em casa e alguns dias de verão até chegar a próxima chuva – afinal é Curitiba né? E eu gostaria de chegar ao fim das férias dizendo: sim eu consegui aproveitar tudo isso e traçar novas metas e planos que quero executar em breve.  Só espero não estar aqui e em nenhum outro lugar para compartilhar, justamente porque decidi viver. E sugiro que você faça o mesmo. Aproveita, é maravilhoso!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s